-->




Resenha: O Reino das Vozes que Não se Calam





resenha-o-reino-das-vozes-que-nao-se-calam-lipstckandpolaroids

| Editora Rocco | Autora Carolina Munhóz & Sophia Abrahão | Número de páginas 288 | Classificação ★★★★★ |

“Em sua estreia na Rocco e marcando também a chegada do selo Fantástica, a escritora Carolina Munhóz, ganhadora do Prêmio Jovem Brasileiro por seu primeiro livro, A fada, apresenta O Reino das vozes que não se calam, escrito em parceria com a atriz e cantora Sophia Abrahão. Espécie de conto de fadas contemporâneo, em que um mundo mágico é palco para uma história de autoconhecimento e o poder dos sonhos, o romance conta a história de Sophie, uma garota cansada de sofrer com a indiferença das pessoas até descobrir um Reino onde seus talentos são reconhecidos. Cedo ou tarde, porém, ela terá que decidir entre a realidade e a fantasia, numa jornada repleta de descobertas e desafios.”

O livro conta a história de shopie, uma garota magra, que sofre bullying e é constantemente chamada de anoréxica e outros apelidos do tipo. Por outro lado, ela tem uma voz linda, apesar de cantar em público  Ela tem uma melhor amiga, Anna, que é super popular. Shopie costuma dizer que vivia em um mundo cinzento. Seus pais, Laura e George, a amam muito e querem o melhor pra ela, mesmo não tendo tanta certeza do que realmente seria melhor pra filha e com isso acabam isolando mais ainda agarota.

resenha-o-reino-das-vozes-que-nao-se-calam-lipstckandpolaroids

Na noite em que Sophie passa por uma tremenda humilhação causa por Anna, em uma festa e acabando terminado a amizade com a amiga, ela é "sugada" para uma outra dimensão, um mundo mágico, onde todos a amam e a aceitam do jeito que ela é. Então ela tem um objetivo: conseguir ficar no reino permanentemente. E como não querer permanecer lá? Sendo que a Rainha Ny, na verdade é sua vó e que esse lugar conta com criaturas mágicas, flores que cantam, gatos falantes e fadas.

Mesmo com toda essa coisa de poder ir para uma outra dimensão, Sophie conhece léo, um garoto nerd que tem uma banda de rock e Mônica, que acaba se tornado muito sua amiga. À cada dia que passa Sophie fica mais próxima de Léo. Será que Sophie seria capaz de deixar tudo para trás? Abandonar seus pais? Deixar Léo e Mônica? 

resenha-o-reino-das-vozes-que-nao-se-calam-lipstckandpolaroids


O livro nos traz um assunto muito evidente nos dias de hoje, o Bullying. É algo que vivenciamos muito no nosso dia a dia, ou até mesmo praticamos sem perceber - julgando alguém pela aparência, pela opção sexual, por ser mais gordo ou mais magro... Acho que é essencial sermos diferentes uns dos outros. Se somos mais magros, mais gordos, mais baixos ou mais altos, isso não irá interferir em nada, não tem não nada de errado nisso, não tem nada se errado sermos diferentes uns dos outros e é isso que a sociedade tem que entender. 
Mas o livro não falam só do bullying, ele fala da fragilidade de algumas pessoas, das atitudes de nós seres humanos, da importância de amar a si próprio. Um livro que fala de amor. 


resenha-o-reino-das-vozes-que-nao-se-calam-lipstckandpolaroids

resenha-o-reino-das-vozes-que-nao-se-calam-lipstckandpolaroids

ALGUNS TRECHOS DO LIVRO

Ninguém pode fazer outra pessoa feliz. Nós precisamos encontrar a nossa própria felicidade. Eu nunca achei que fosse digna de ser feliz. Esse sempre foi o grande problema.
Somos apenas duas almas perdidas, mas ao menos estamos perdidos juntos.
''Eu tenho visto sua dor de longe, e isso tem me matado um pouco também.
É sempre necessária alguma escuridão para se ver estrelas.
Preferia viver sozinha em seu canto reservado entre os livros a viver em um mundo no qual outras pessoas eram forçadas a gostar dela por educação.
Desde a primeira vez que a vira, sabia que ela era como um passarinho com asas quebradas. Não queria conserta-las, mas gostaria de tentar encorajá-la a se curar e voar.
Você é a minha melhor musica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário